quinta-feira, 31 de julho de 2014

FILME DO MÊS: JULHO/2014.


Mais um mês sem a merda do mês e com bons filmes chegando às telonas. Quatro obtiverem deste blogueiro notas acima de oito. Acabou dando empate entre os espetáculos visuais Planeta dos Macacos: O Confronto e Guardiões da Galáxia. É bem verdade que o primeiro leva uma ligeira vantagem em cima do novo filme da Marvel, no quesito interpretações e efeitos mais caprichados. Mas, ambos são filmaços fodásticos, muitos divertidos. Portanto, empate e título do filme do mês merecidos. 

Planeta dos Macacos: O Confronto:

Guardiões da Galáxia:

Rick Pinheiro.
Cinéfilo.

O STAR WARS DA MARVEL.

 = Excepcional. /  = Muito bom. /  = Bom./  = Regular. / = Fraco. 

Guardiões da Galáxia (Guardians of the Galaxy).
Produção estadunidense de 2014.

Direção: James Gunn.

Elenco: Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Bradley Cooper, Vin Diesel, Lee Pace, Josh Brolin, Benício Del Toro, Kare Gilan, Glenn Close, John C. Reily, Michael Rooker, Djimon Hounson, entre outros.

Blogueiro assistiu na sala 5 do complexo Kinoplex Maceió em 31 de julho de 2014.

Cotação

Nota: 9,0.  

Sinopse:  Após vinte anos de ter sido abduzido o terráqueo Peter Quill (Pratt) que se auto-titula o senhor das galáxias, rouba um artefato metálico que ele não sabe que é o objeto de desejo de Ronan (Pace), vilão que vem ferrando com vários planetas, sob o comando de Thanos (Brolin). Além de ser procurado por seus antigos parceiros, liderados por Yondu (Rooker), passa a ser alvo de vários caçadores de recompensas, entre eles, a dupla Rocket Racoon (Cooper) e Groot (Diesel). Para recuperar o artefato, Ronan envia a sombria e perigosa Gamora (Saldana). Na tentativa de captura de Peter, ele e os seus três captores são presos. Na prisão, eles conhecem Drax (Bautista) e sabendo da gravidade do artefato cair nas mãos de Ronan, unem forças para evitar que o pior aconteça.

Comentários: E mais uma filme com o padrão Marvel de qualidade chega às telonas, dando continuidade a fase 2 da saga cinematográfica que terá desfecho com o aguardadíssimo segundo filmes dos Vingadores. Guardiões da Galáxia não faz feio e chega com tudo, contando com um ótimo roteiro, efeitos especiais, e provavelmente, o elenco mais cheio de astros e estrelas da atual excelente fase da Marvel nas telonas, com direito a colocar estrelas do primeiro escalão como Bradley Cooper, Vin Diesel e Josh Brolin apenas para emprestarem suas vozes a personagens totalmente digitalizados. Como de costume, os efeitos especiais dão show e que em 3D ainda ficam mais espetaculares. Decepciona apenas na tradicional sequência pós-crédito, que, sinceramente, já deu o que tinha que dar, numa sequência igual ao desempenho do Fred na seleção brasileira na última, ou seja, que nada contribui a trama, nem ao filme seguinte, com Benício Del Toro e um personagem surpresa do universo Marvel, numa piada sem graça. Mas, nem isso tira o brilho de um filmaço tão empolgante e fodástico.

Rick Pinheiro.
Cinéfilo alagoano. 



CASAL ENTROSADO EM NOVA PARCERIA E MACACADA FODONA EM SESSÃO DUPLA DE CINEMA.

 = Excepcional. /  = Muito bom. /  = Bom./  = Regular. / = Fraco. 

Juntos e Misturados. (Blended).
Produção estadunidense de 2014.

Direção: Frank Coraci.

Elenco: Adam Sandler, Drew Barrymore, Terry Crews, Bella Thorne, Emma Fuhrmann, Abdoulave N'Gom, Kevin Nealon, entre outros.

Blogueiro assistiu na sala 5 do complexo Cinesystem Maceió em 30 de julho de 2014.

Cotação

Nota: 8,0.  

Sinopse: Depois de um desastroso encontro às escuras, a última coisa que Jim (Sandler), e Lauren (Barrymore) desejam é ser reencontrarem. Ele é um viúvo, pai de três meninas, ela divorciada mãe de dois meninos, e ambos desejam dar uma férias especial aos seus respectivos filhotes. A chance ocorre quando a sócia de Lauren, rompe o namoro com o chefe de Jim, porque ele é pai de cinco filhos e iria levá-los na viagem romântica do casal. Lauren convence a sócia de ir em seu lugar com os meninos, enquanto, paralelamente, Jim convence o seu chefe a fazer o mesmo. As duas famílias se encontram na África e terão que encarar uma férias compartilhada.

Comentários: Adam Sandler é um cara que é amado pelo público e odiado pela crítica que tem um prazer orgástico de malhar seus filmes. Sua nova parceria com Drew Barrymore, que anteriormente rendeu Como Se Fosse Pela Primeira, simplesmente para este blogueiro a melhor comédia romântica de todos os tempos, não foi diferente. A crítica malhou, mas, o público é só elogio. De fato, os dois lados tem uma parcela de razão. Se por um lado, o filme é uma divertida comédia, com roteiro bobinho, onde é valorizado os coadjuvantes roubam a cena do casal central, como sempre bem entrosado, com destaque para o eterno pai do Chris, Terry Crews, totalmente hilário num personagem tosco e sem noção, por outro lado, temos um filme padrão a la Sandler, praticamente com as mesmas piadas de sempre, portanto, fazendo alguns elogios serem exagerados. Mas, enfim, os críticos é que exageram na chatice. De fato, Juntos e Misturados é um filme divertido e consegue arrancar risadas sem muito esforço e muito besteirol. Logo, vale a pena conferir.




Planeta dos Macacos: O Confronto (Dawn of the Planet of the apes).
Produção estadunidense de 2014.

Direção: Matt Reeves.

Elenco: Andy Serkis, Jason Clarke, Gary Oldman, Keri Russell, Tobby Kebbell, Kodi Smit-McPhee, Judy Greer, Jocko Sims, entre outros.

Blogueiro assistiu na sala 3 complexo Cinesystem Maceió em 30 de julho de 2014.

Cotação

Nota: 9,0.  

Sinopse: Dez anos após os fatos mostrados em Planeta dos Macacos: A Origem, a humanidade vive a beira da extinção por causa do vírus do laboratório do filme anterior que exterminou boa parte dos seres humanos. Enquanto isso numa floresta aos arredores de São Francisco, os macacos inteligentes vivem de boa e se multiplicaram aos milhares, sob o governo de César (Serkis). A tranquilidade é interrompida quando um grupo de humanos, liderados por Malcolm (Clarke), chega ao local, causando uma tremenda saia justa já que um afoito membro da equipe, atira em um macaco. Enquanto César e Malcom tentam uma solução pacífica, evitando a guerra, membros de ambos os lados, querem mais é que hajam o confronto e uma raça domine a outra.

Comentários: Depois de um excelente filme que deu um reboot na franquia Planeta dos Macacos, que trouxe uma nova roupagem e ainda respeitando o inesquecível clássico original estrelado pelo saudoso Charlton Heston, a expectativa por esta continuação ficou ainda maior. E de fato, não decepciona, já que o novo filme não deve em nada ao anterior, mantendo o alto nível de excelência do roteiro, com boas atuações, e efeitos especiais ainda mais caprichados que o anterior. É justamente neste quesito que o filme impressiona e enche os olhos, principalmente, as caracterizações da macacada, ainda mais realista que no filme anterior, e neste quesito, superando-o. Merecidamente, Andy Serkis tem, finalmente, o reconhecimento de sua grande atuação e vem com o nome encabeçando o elenco. Seu colega de macacada, Tobby Kebell, também merece destaque, roubando a cena como o vilão. No confronto de atuações a macacada dar de goleada no elenco "humano", que limita-se a atuações satisfatórias. Valeu a pena esperar. Filmaço!


 


Rick Pinheiro.
Cinéfilo alagoano.