segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

MARATONA COM OS PIORES FILMES DE 2010.

Filmes.
Maratona com os piores filmes de 2010.


O que não faz a mórbida curiosidade do ser humano!

Tão logo saiu a lista dos filmes candidatos ao Troféu Framboesa 2011, o Oscar dos piores filmes norte-americanos do ano passado, fiz a minha lista de apostas. Porém, já protinha para postá-la aqui percebi que seria uma grande injustiça. Afinal, a maioria dos filmes eu não tinha assistido.

Então, movido pelo grito de "DVD, é  R$ 1,00!" que ecoa pelo Centro de Maceió, não me contive e resolvi adquirir alguns destes filmes (apesar que estes filmes são tão ruins que não conseguir encontrar nesta promoção, adquirindo-os pela velha promoção "3 DVD é R$ 5,00!" ) e fazer uma auto-flagelação, realizando uma maratona caseira com estes filmes.

Esta maratona terá oito filmes. Os seis que eu adquirir na manhã do último sábado, um que eu já tinha adquirido em outra ocasião, e por algum motivo, passou batido e não postei comentários aqui, e outro que o meu amigo-irmão Rafa Bomba, vai me emprestar.

Os filmes desta maratona, conforme a ordem acima, são:
  • Lembranças;
  • Idas e Vindas do Amor;
  • Jonah Hex - Caçador de Recompensas;
  • Sex and the City 2;
  • Coincidências do amor;
  • A Última Música;
  • Os Vampiros que se mordam;
  • O Último Mestre do Ar.

A ordem que inicialmente pensei em assistir foi de maior número de indicações ao Framboesa, mas ao constatar que grande parte desta lista são filmes românticos e comédia-românticas, fato este que me fez corar de vergonha ao adquiri-los, com receio de encontrar algum amigo que duvidasse da minha masculinidade e me julgasse sem senso crítico, resolvi começar revendo um filme que eu gostei (Os Vampiros que se mordam), deixando por último os dois únicos de ação (Jonah Hex e O Último Mestre do Ar), já como incentivo para encarar as porcarias que não fazem o meu gênero.

Para não ficar enfadonho, tentarei   postar aqui todos os dias, os comentários de dois filmes. Isso se eu sobreviver a esta maratona tão tediosa.

O que eu não faço por vocês e por amor a sétima arte, né galera?

Rick Pinheiro.
Cinéfilo encarando a duríssima maratona de filmes ruins.

DIFERENÇA ENTRE CD/DVD ORIGINAL E PIRATA, ALÉM DO PREÇO.

Curiosidade.
Diferença entre CD/DVD original e pirata, além do preço.


OBS: A qualidade do pirata em relação ao original é  bastante inferior, mas em se tratando, por exemplo, dos novos filmes de Steven Seagal, e outros filmes e seriados ruins, a diferença é praticamente nenhuma.

CONFISSÃO DE UM CRIME.

Opinião.
Confissão de um crime.


Quero confessar um crime, que 99,99% do povo brasileiro comete: eu compro CD e DVD piratas. Aproximadamente 1% da minha CDteca e DVDteca são made in quintal de um pirateador. E para agravar ainda mais o meu delito: a maioria do meu material de faculdade, é fotocopiado.

Não querendo justificar o meu crime, mas já justificando: convenhamos que, por exemplo, os filme novos estrelados por Van Damme, Steven Seagal, Dolph Lundgren, Tony Jaa,  não valem R$ 5,99, preço do DVD original mais barato, vendido aqui em Maceió. E que comprar um livro que só será utilizado num semestre, e muitas vezes apenas um assunto, por mais de R$ 200,00 é um gasto exageradamente desnecessário.

Enfim, é crime. Sei disso e boa parte da população sabe. Mas se recorremos às fotocópias e aos produtos piratas ocorre pelos altos preços cobrados pelos originais. Particularmente, se tivesse que escolher, seria só produtos originais. Tanto que cerca de 99% dos meus CD  e DVD são originais, e queria ter o orgulho de toda a minha coleção fosse 100% original. Mas infelizmente, fui forçado a adquirir produtos piratas, pelo alto custo dos originais.

Para se ter ideia do absurdo, citarei como exemplo, a maratona maluca que estou realizando com alguns candidatos ao Troféu Framboesa. Pelo preço da locação de apenas um filme original na minha locadora, mais alguns Reais, eu adquirir seis filmes piratas. Se eu fosse locar os originais na minha locadora, eu pagaria acima de R$ 50,00. Ou seja, adquirindo os piratas, economizei mais de R$ 40,00.

Enfim, quem facilita a pirataria, não somos nós consumidores, mas é o próprio Governo Federal. Enquanto não houver uma reforma tributária séria em nossa país, diminuindo os impostos, criando programas de incentivo fiscal aos fabricantes, a pirataria continuará lucrando, enchendo as nossas prateleiras de produtos falsificados.

Rick Pinheiro.
Confessando um crime que a maioria dos brasileiros cometem.

sábado, 29 de janeiro de 2011

JOHNNY DEEP ARREBENTA EM O TURISTA.

Filmes.
Johnny Deep arrebenta em O Turista.

Como já disse aqui repetida vezes e também é de conhecimento de todos os cinéfilos, 2010 não foi um ano muito criativo para o cinema norte-americano. Uma das fórmulas bastante repetida, no decorrer de todo ano, foi juntar no mesmo filmeum astro e uma estrela, colocando-os em situações inusitadas, recheadas com ação, romance e humor. Evidente que, na maioria dos filmes, a fórmula não funcionou, gerando até grandes micos para os envolvidos, entediando o público.

Mas como toda regra tem uma exceção, eis que surge O Turista, estrelado por Johnny Deep e Angelina Jolie. que fecha com chave de ouro (espero eu), esta fórmula  bastante repetida e  desgastada, no decorrer de todo ano passado.


A trama, no geral, é a de sempre. Um professor de matemática norte-americano (Deep), de bobeira pela Europa, conhece no trem que o leva de Paris a Veneza, uma belíssima e misteriosa mulher (Jolie, sempre linda e provocante). Evidente que este encontro nada casual, pelo menos da parte dela, é o começo de muita perseguição e confusão para o "coitado" do professor.

Apesar de todos os elementos da fórmula estarem ali, O Turista faz a diferença sobre os demais e consegue ser superior aos seus contemporâneos. Isso graças a uma direção primorosa, que soube utilizar bem as locações em Paris e da belíssima Veneza, e extrair de Deep uma excepcional interpretação.

Deep simplesmente reina absoluto no filme, nada lembrando o seu mais famoso personagem, o pirado e afetado Jack Sparrow, da (até agora) trilogia Piratas do Caribe. Mas assim como o aloprado pirata, Deep  consegue nos divertir e prender a nossa atenção a ponto de não percebermos situações óbvias do roteiro, que estão diante do nosso nariz. Após assistirmos o filme, entendemos porque Angelina Jolie fez tanta questão de tê-lo no elenco, apesar que na época, as más línguas davam outros motivos nada profissionais a bela ex-senhora Brad Pitt.

Com pequenas dosagens de  ação, suspense, humor, romance, tudo isso na medida certa, uma belíssima paisagem e uma das melhores interpretações de Johnny Deep, O Turista é diversão garantida e o meu primeiro fortíssimo candidato a melhor filme deste ano. Não percam! Vão logo hoje ao cinema e divirtam-se!

Rick Pinheiro.
Cinéfilo.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

SAIU O LISTÃO DOS PIORES FILMES DE 2010.

Filmes.
Saiu o listão dos piores filmes de 2010.


Transcrevo na íntegra a reportagem da Folha On Line e em seguida farei os meus comentários. Para que esta postagem não fique extensa, logo, chata, em outra postagem farei as minhas apostas em cada categoria do divertido Troféu Framboesa, que  na minha opinião, nos últimos anos vem sendo mais interessante que o próprio Oscar.

"Eclipse" e "Sex and the City 2" são indicados a piores filmes do ano.

FERNANDA EZABELLA
DE LOS ANGELES

O romance vampiresco "A Saga Crepúsculo: Eclipse" e o filme de ação "O Último Mestre do Ar" lideram as indicações ao Framboesa de Ouro, prêmio dos piores filmes do ano, cada um com nove indicações.

Robert Pattinson e Kristen Stewart, que são namorados na vida real e nos filmes da saga "Crepúsculo", também concorrem nas categorias pior ator e atriz.

As nova-iorquinas descoladas de "Sex and the City 2" vieram em segundo lugar em número de indicações: vão disputar em sete categorias, incluindo pior elenco e pior diretor.

Romance vampiresco "Eclipse" lidera indicações a prêmiação de piores do ano concorrendo em nove categorias

Os três longas concorrem ao prêmio de pior do ano com a comédia romântica "Caçador de Recompensa" e a paródia "Os Vampiros Que Se Mordam".

O Framboesa de Ouro é organizado pelo entusiasta cinematográfico John Wilson e está em sua 31ª edição. São cerca de 600 votantes, bem mais do que os 90 do Globo de Ouro e bem menos do que os quase seis mil do Oscar. Para votar, basta pagar US$ 35 dólares por ano.

Pattinson foi indicado por conta de "Eclipse" e "Lembranças" e irá disputar com o colega de set Taylor Lautner ("A Saga Crepúsculo: Eclipse" e "Idas e Vindas do Amor"), Jack Black ("As Viagens de Gulliver"), Gerard Butler ("Caçador de Recompensa") e Ashton Kutcher ("Par Perfeito" e "Idas e Vindas do Amor").

Stewart foi indicada só pelo filme de vampiros e vai disputar com Jennifer Aniston ("Caçador de Recompensa" e "Coincidências do Amor"), Miley Cyrus ("A Última Música"), Megan Fox ("Jonah Hex - Caçador de Recompensas") e as quatro de "Sex and the City 2" (Sarah Jessica Parker, Kim Cattrall, Kristin Davis e Cynthia Nixon).

Três veteranas fizeram a lista de pior atriz coadjuvante: Liza Minnelli (com "Sex and the City 2"), Cher ("Burlesque") e Barbra Streisand ("Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família").

A cerimônia de entrega da 31ª edição do Framboesa de Ouro acontece no dia 26 de fevereiro, um dia antes do Oscar.

Em 2010, Sandra Bullock foi a ganhadora da categoria pior atriz por conta do filme "Maluca Paixão". No dia seguinte, no Oscar, ela foi premiada pela atuação em "Um Sonho Possível".

Bullock foi ao evento do Framboesa de Ouro* e ainda fez discurso ao aceitar o troféu: "Vou voltar no ano que vem se prometerem que vão assistir ao filme", disse, distribuindo cópias de "Maluca Paixão" à plateia. "Vou querer saber se foi realmente a pior atuação do ano".

Veja a lista completa:

PIOR FILME

"Caçador de Recompensa"
"A Saga Crepúsculo: Eclipse"
"O Último Mestre do Ar"
"Sex and the City 2"
"Os Vampiros Que Se Mordam"

PIOR DIRETOR

Sylvester Stallone ("Os Mercenários")
Jason Friedberg e Aaron Seltzer ("Os Vampiros Que Se Mordam")
Michael Patrick King ("Sex and the City 2")
M. Night Shyamalan ("O Último Mestre do Ar")
David Slade ("A Saga Crepúsculo: Eclipse")

PIOR ATOR

Robert Pattinson ("A Saga Crepúsculo: Eclipse" e "Lembranças")
Taylor Lautner ("A Saga Crepúsculo: Eclipse" e "Idas e Vindas do Amor")
Jack Black ("As Viagens de Gulliver")
Gerard Butler ("Caçador de Recompensa")
Ashton Kutcher ("Par Perfeito" e "Idas e Vindas do Amor")

PIOR ATRIZ

Kristen Stewart ("A Saga Crepúsculo: Eclipse")
Jennifer Aniston ("Caçador de Recompensa" e "Coincidências do Amor")
Miley Cyrus ("A Última Música")
Megan Fox ("Jonah Hex - Caçador de Recompensas")
Sarah Jessica Parker, Kim Cattrall, Kristin Davis e Cynthia Nixon ("Sex and the City 2")

PIOR ATRIZ COADJUVANTE

Jessica Alba ("The Killer Inside Me", "Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família", "Machete" e "Idas e Vindas do Amor")
Cher ("Burlesque")
Liza Minnelli ("Sex and the City 2")
Nicola Peltz ("O Último Mestre do Ar")
Barbra Streisand ("Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família")

PIOR ATOR COADJUVANTE

Billy Ray Cyrus ("Missão Quase Impossível")
George Lopez ("Marmaduke", "Missão Quase Impossível" e "Idas e Vindas do Amor")
Dev Patel ("O Último Mestre do Ar")
Jackson Rathbone ("O Último Mestre do Ar" e "A Saga Crepúsculo: Eclipse")
Rob Schneider ("Gente Grande")

PIOR USO DE 3D

"Como Cães e Gatos 2"
"Fúria de Titãs"
"O Último Mestre do Ar"
"O Quebra-Nozes 3D"
"Jogos Mortais: O Final"

PIOR CASAL EM CENA/ PIOR ELENCO

Jennifer Aniston e Gerard Butler, em "Caçador de Recompensa"
Josh Brolin e Megan Fox, em "Jonah Hex - Caçador de Recompensas"
Elenco inteiro de "A Saga Crepúsculo: Eclipse"
Elenco inteiro de "Sex and the City 2"
Elenco inteiro de "O Último Mestre do Ar"

PIOR ROTEIRO

"O Último Mestre do Ar"
"Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família"
"Sex and the City 2"
"A Saga Crepúsculo: Eclipse"
"Os Vampiros Que Se Mordam"


PIOR SEQUÊNCIA, REMAKE, PREQUEL OU DERIVADO

"Fúria de Titãs"
"O Último Mestre do Ar"
"Sex and the City 2"
"A Saga Crepúsculo: Eclipse"
"Os Vampiros Que Se Mordam"

Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/864982-eclipse-e-sex-and-the-city-2-sao-indicados-a-piores-filmes-do-ano.shtml
Grifos meu.

* Nota: Quero ressaltar a humildade e senso de humor da atriz Sandra Bullock, que entrou na brincadeira e fez questão de ir receber o seu Fambroesa de Ouro.

Comentários deste blogueiro.

No geral, finalmente, eu e os que fazem anualmente esta lista, estamos de acordo na maioria das indicações, a começar pelas indicações ao terceiro filme da série modinha teen. Sempre disse neste blog, e até fui criticado pelas minhas amigas, que o casalzinho insosso da Saga Crepúsculo são péssimos atores. Deus é justo e a própria crítica norte-americana só confirmou a verdade.

Jack Black, Gerard Butler, Jennifer Aniston, Miley Cyrus, a gostosona e, infelizmente, metida a bosta da Megan Fox, Cher e  Liza Minnelli nunca foram lá grandes atores/atrizes e merecem está em todas as listas dos piores da história do cinema. Ashton Kutcher, sempre fazendo péssimas escolhas (leia-se, os mesmo personagens retardados da época de adolescência) pede gratuitamente para entrar na lista dos piores. Já Barbra Streisand em Entrando numa fria maior ainda com a família está mais perdida que cego em tiroteio, assim como a lindíssima e sempre esforçada Jéssica Alba, e o pequeno na estatura mas grande como ator Dustin Hoffman, que inexplicavelmente não foi indicado, já que está pior neste filme pior do que as duas. As duas mereceram a indicação, mas não indicá-lo foi uma pisada de bola dos organizadores do Framboesa.

A grande supresa para mim foram as indicações de Sex and the City 2, que eu sempre achei uma merda desde dos tempos que era um série paparicada pela crítica. Por este motivo é que fui pego de supresa em ver a justiça sendo feita, finalmente colocando no seu devido lugar esta chatíssima série que prega a futilidade do pseudo-feminismo consumista e de libertinagem sexual.

Outra supresa foi a categoria de pior uso de 3D, que eu até então desconhecia. Como já havia comentado aqui, a ganância dos produtores hollywoodianos fez triplicar filmes nestes formatos,  que na pressa para encher os bolsos de dinheiro, acabam sendo mal produzidos. Estou feliz  de ter poupado a minha grana e desta lista ter assistido apenas Fúria de Titãs. E olhe que até alguns dias atrás estava triste por não ter conseguido assistir O Último Mestre do Ar e Jogos Mortais: o final.

Evidente que como toda lista, existem as injustiças. A começar pela não indicação de Júlia Roberts e todo elenco de Comer, Rezar e Amar, que para mim, é disparado o pior filme de 2010. Devia ter entrado no lugar de Os Vampiros que se Mordam, que apesar de decepcionante, tem seus momentos hilários, e por isso, se sobressai sobre vários outros filmes paródias, à exemplo dos péssimos Super Heróis: A Liga da Injustiça e Stan Helsing.

Como é de costume, Sylvester Stallone sempre é indicado em alguma categoria do Framboesa, só que desta vez forçaram a barra, cometendo a grande injustiça de indicá-lo como pior diretor pelo excelente Os Mercenários. Os organizadores do Framboesa sempre dão um jeito de colocá-lo na lista dos piores do ano, o que o torna recordista absoluto de indicações ao Framboesa, junto com Arnold Schwarzenegger, John Travolta e Eddie Murphy. Para que não achem que é uma defesa cega de um fã do eterno Rocky Balboa, reparem  atentamente na lista: Todos os diretores indicados, tiverem seus filmes e elenco também indicados em suas respectivas categorias, exceto Stallone. Se isso não for marcação cerrada em cima dele, é o que então?

Outra injustiça foi a indicação de Taylor Lautner pela sua interpretação do "lobisteen" no terceiro filme da série teen modinha. O carinha é o único que se salva  num elenco repleto de péssimos atores. Não assistir Idas e Vindas do Amor (Graças a Deus não ter assistido que, pelo razoável número de indicações ao Framboesa, parece mesmo ser mesmo uma merda), mas na minha opinião, por Eclipse, Lautner foi injustamente indicado. Injustiça também foi a ex-excelente atriz mirim Dakota Fenning não ter sido indicada a pior atriz coadjuvante pela pior interpretação da sua carreira.

Por fim, acho que Lula: O Filho do Brasil, devia ter sido indicado ao Framboesa. Seria um merecido prêmio de consolação pelo fiasco cometido pela comissão do Ministério da Cultura que para babar o ovo do então chefinho, indicou este filme tosco para representar o nosso país ao Oscar de filme estrangeiro. Se a galera do Framboesa tivesse tido o desprazer de assistir este filminho com certeza seria indicado em todas as categorias e as chances de sair vitorioso em boa parte delas seriam enorme. 

Rick Pinheiro.
Cinéfilo. 

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

DUAS COMÉDIAS E POUCAS RISADAS.

Filmes.
Duas Comédias e Poucas Risadas.

Na terceira semana da minha maratona cinematográfica 2011, onde me comprometi a cada semana deste ano assistir a pelo menos um filme inédito, pela infeliz e costumeira falta de opções nos cinemas da capital alagoana, dei um pulo na locadora, a fim de locar dois novos filmes para a também já costumeira sessão dupla. Como queria levantar o astral, resolvi locar duas comédias. Infelizmente, as minhas escolhas não foram das melhores e por pouco não levei gato por lebre.

O filme que me salvou um pouco deste aborrecimento total foi a comédia Ela é demais para mim, indicada pelo meu amigo Rafa Bomba. Na trama, Kirk, é um carinha zero à esquerda, que trabalha na segurança de num aeroporto e com altíssima baixa estima. E esta só aumenta quando a lindíssima Molly se apaixona por ele e seus familiares e amigos fazem questão de dar conselhos nada edificantes.

O filme não é a comédia estravagante, inteligente, muito divertida e boa supresa, adjetivos estes prometidos na embalagem. Mas vale pela mensagem que ele transmite. De fato, sempre tem pessoas, ao nosso lado, que fazem questão de nos colocar para baixo, como também nós mesmo, muitas vezes deixamos que a baixa estima nos tome conta. Vale mais pela reflexão do que pelas quase nenhuma risada.

Com pouquíssimos momentos realmente engraçados, mas com uma mensagem que abre os olhos de muitos que acham que não têm capacidade de conquistar uma gata nota dez, Ela é demais para mim, é um filme razoável, que diverte e levanta o ânimo.

Ao contrário do chatíssimo e sem graça nenhuma, o decepcionante Stan Helsing, que é uma verdadeiro caso de propaganda enganosa. O filme não é o que promete já que simplesmente não satiriza nenhum filme, apesar de ter entre os personagens paródia dos principais vilões dos filmes de terror.

A trama tosca e sem graça se passa na noite do Halloween onde o tal Stan Helsing e seus três amigos se perdem na estrada e vão a uma cidadezinha repleta de monstros.

Nada salva esta porcaria do fiasco total. Nem mesmo a minúscula e constrangente presença do veterano Leslie Nielsen, que neste filme está perdido e pela primeira vez em sua extensa carreira de filmes paródias, totalmente sem graça, e o fato deste lixo ter os mesmos produtores da quadrilogia Todo Mundo em Pânico.

Se Super-Heróis: A Liga da Injustiça decretou a falta de criatividade e falência dos filmes de paródias, Stan Helsing enterrou por completo as chances deste sub-gênero se manter. Meu primeiro candidato a pior filme do ano. Não indico nem ao meu maior inimigo, caso eu tivesse um. Porém, para quem sofre de insônia, é um perfeito sonífero.

Rick Pinheiro.
Cinéfilo.

domingo, 16 de janeiro de 2011

ENTRANDO NUMA DIVERSÃO MELHOR AINDA.

Filmes.
Entrando numa diversão melhor ainda.

Continuando minha maratona cinematográfica 2011, na semana que passou fui conferir, na tela do Centerplex, a comédia Entrando numa fria maior ainda com a família, terceiro filme da série estrelada por Robert De Niro e Ben Stiller.

Particularmente não fui muito interessado em assisti-lo, pois achava que a série já tinha que dar nos dois primeiros filmes. Mas fui supreendido com uma boa comédia, que não deve em nada aos seus antecessores, mantendo o mesmo nível da série.

Na trama, após um princípio de infarto, o figuraça Jack Bynes (De Niro excelente como sempre) resolve que o seu genro Greg (Stiller) será o chefe da sua família ao partir, mas como é de costume, resolve investigar e e testar o pobre coitado. Paralelamente, Greg tenta ganhar um extra fazendo palestra sobre uma espécie de Viagra para cardíacos, ao lado da provocante Andi Garcia (Jessica Alba, limitada, mas como sempre linda). A trama secundária ainda incluir a preparação para a festa de aniversário dos seus filhos gêmeos (interpretadas por crianças fofas e engraçadas), a reforma da sua nova casa e o teste das crianças para estudar numa renomada escola infantil.

O filme é uma comédia boba que diverte, com cenas hilárias, citações a outras produções (além do nome da personagem de Alba ser uma brincadeira com o nome do ator Andy Garcia, tem o toque musical dos clássicos O Poderoso Chefão e Tubarão, em hilárias cenas) e piadas à moda antiga que ainda  conseguem nos fazer dar altas gargalhadas.


Como toda série, apesar de não serem os melhores filmes de nenhum do elenco, a química entre De Niro e Stiller é ótima, nos redendo gargalhadas gratuitas. De Niro comprova que é um grande ator, sendo assim, também tem talento para a comédia. Stiller, apesar de fazer o costumeiro personagem "Mané" de 99,99% dos seus filmes, consegue se nivelar com De Niro, sendo um ótimo "escada"  para o seu parceiro de cena.

Além de bons protagonista, o filme se dar ao luxo de colocar como coadjuvantes renomados atores como Dustin Hoffman, Barbra Streisand (repetindo a parceria do segundo filme como os pais de Greg, só que desta vez, estão perdidos em cena e totalmente desperdiçados), Owen Wilson (fazendo o mesmo personagem bobo de sempre), Jéssica Alba, Laura Dern e até Harvey Keitel numa pequena, mas hilária participação, como um dos pedreiros que fazem a reforma na casa de Greg.

Em síntese, Entrando Numa Fria 3, é uma comédia boba, desprentiosa, mas que consegue o seu principal objetivo: nos divertir e fazer rir. Ideal para quem quer apenas dar uma pausa nos problemas da vida, rindo um pouco.

Rick Pinheiro.
Cinéfilo.


"Tô de olho no senhor!"...

... "Eu também tô de olho no senhor!".
Um dos momentos A Praça é Nossa do filme.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

A PRIMEIRA SESSÃO DUPLA DE 2011.

Filmes
A Primeira Sessão Dupla de 2011.

No quinto dia de 2011, comecei a cumprir o compromisso que assumir com a sétima arte de  assistir,pelo menos, um filme inédito a cada semana. E comecei a minha maratona 2011 em grande estilo, numa sessão dupla, no Cinema "Minha Casa".

Pois é galera, não seria pela falta de novidades nas salas de cinemas alagoanas que eu iria deixar de começar a cumprir o meu compromisso, por isso que aproveitei a promoção das quartas da 100% Vídeo, para locar dois filmes. Aliás, diga-se de passagem, dois filmaços que eu passo a comentar agora, que fizeram eu iniciar o ano com o pé direito. Ao menos no quesito cinema. rsss...

Suspense de primeira à moda antiga.


O primeiro filme da minha maratona 2011 foi um grande sucesso do ano passado, Ilha do Medo, do diretor Martin Scorsese e estrelado por Leonardo Di Caprio. Particularmente, detesto Scorsese e não sou lá um grande fã de Di Caprio, que acho ser um atorzinho medíocre, mas queridinho dos críticos. Mas, como disse numa postagem alguns meses atrás, sigo a regra que não devemos julgar a obra pelos seus autores. Do contrário, por exemplo, Charles Chaplin, que teve uma vida pessoal muito conturbada, não seria o grande gênio do cinema que conhecemos. Ainda bem que sigo esta regra e aceitei a sugestão da minha irmã (fã de Di Caprio desde da adolescência), pois eu iria perder um filmaço.

Na trama, que se passa em 1954, dois detetives do FBI, vão a um ilha isolada, onde funciona um manicômio, que cuida de criminosos, para investigar o misterioso desaparecimento de uma paciente. O que seria uma simples investigação, acaba se transformando numa trama intrigante, repleta de reviravoltas, que prende atenção do escpectador até o úlitmo segundo de filme, com um final supreendente. Assim com Os Mercenários resgatou o bom cinemão de ação dos anos 80 e Princípe da Pérsia os filmes de aventura, para mim, Ilha do Medo resgata os excelentes filmes de suspense a la Hitchcock.

Di Caprio está supreendentemente ótimo no papel do policial, ex-combatente da Segunda Guerra, logo, com seus alguns traumas. A única vez que eu tinha visto uma interpretação convicente dele foi no drama Gilbert Gump - Aprendiz de Sonhador,  quando ele ainda era adolescente. Nesta outra parceria com o diretor Scorsese, que já rendeu os ótimos Gangues de Nova York e Os Infiltrados, e o enfadonho O Aviador, Di Caprio finalmente mostra que tem algum talento. E não foi a toa que 2010 foi o ano dele, já que além deste filme, ele estrelou também o ótimo A Origem.

O filme também conta com excelentes coadjuvantes, que inclui os veteranos grandes atores Ben Kingsley e Max Von Sydow, apesar de estarem interpretando personagens inferiores aos seus inegáveis talentos. O roteiro é excelente e como disse acima, consegue prender e supreender o espectador até a última cena.

A única falha é na parte técnica, precisamente na edição, já que são visíveis erros grosseiros na continuidade, como na cena que o personagem de Di Caprio interroga um dos internos, onde num ângulo da cena, o detento está com a mão na cabeça e em outro, está com as mãos abaixadas. Um erro tosco e tolo, mas que não influencia no produto final.

Em síntese, um excelente filme, que só não entrou na lista dos melhores filmes de 2010, por eu só ter assistido neste novo ano que se inicia. Um filmaço que eu recomendo a todos.




Ação à la Tony Scott.


Após uma pequena pausa para ir a academia e cuidar do corpo, assistir O Sequestro do Metrô 123, do veterano diretor de filmes de ação Tony Scott, estrelado pelo ótimo ator Denzel Washington e John Travolta, mais uma vez fazendo um vilão malucão, sem noção.

A trama é simples: Walter Garber (Washington, ótimo como sempre) é um funcionário do metrô de Nova York, que se ver envolvido numa situação inusitada, quando Ryder (Travolta) e sua gangue sequestra o trem 123, exigindo o resgate de 10 milhões de dólares, quantia que deverá ser paga em uma hora.

O roteiro, apesar de simples, é bem conduzido, tornando o filme eletrizante, com ação e suspense na dose certa. Uma especialidade do veterano diretor Tony Scott, com elenco de ótimos atores, que além de Washington e Travolta, conta também com o excelente John Turturro.

Apesar de não ser o melhor dos seus filmes, muito menos dos seus atores, O Sequestro do Metrô 123, mantêm o estilo visual e empolgante do diretor, sendo uma diversão eletrizante garantida para quem assisti-lo.


Em tempo: neste fim de semana Denzel Washington volta a encarar um trem desgovernado,em Incontrolável, que pelo trailer promete ser melhor e mais eletrizante que O Sequestro do Metrô 123. É conferir na telona, logo que for lançado.

Rick Pinheiro.
Cinéfilo.