domingo, 23 de julho de 2017

IRMÃOS TRAPALHÕES ESQUECIDOS NO TEMPO.

 = Excepcional. /  = Muito bom. /  = Bom./  = Regular. / = Fraco. / Coco do Cachorrão= Preciso mesmo dizer?.

2000 Anos de Confusão.
Produção brasileira de 1969.

Direção: Fausi Mansur.

Elenco: Dedé Santana, Dino Santana, Átila Iório, Nalva Aguiar, Teresa Sodré, Gibe, Carlos Bucka, Mario Alimari, Rony Cócegas, Silvio Navas, Zeloni, Maracy Mello, Toni Campello, entre outros.

Blogueiro assistiu no notebook em 23 de julho de 2017..

Cotação

Nota: 6,5.
Sinopse: Bonitão (Dino Santana) pretende dar um golpe no baú numa moça rica (Aguiar), mas não sabe que a família dela está na pindaíba. Um grupo criminosos que o seguia, acaba sequestrando a moça e a prima dela (Sodré). Para resgatá-la, Bonitão contará com a ajuda do velho amigo Maloca (Dedé Santana), sendo perseguidos de perto pelos agentes da organização A.N.C.O.L., Napoleão Sola (Gibe) e Benedito Curiaco (Cócegas).

Comentários: Primeiro filme da dupla Maloca e Bonitão, formada pelo eterno trapalhão Dedé Santana e seu saudoso irmão Dino Santana, que apesar do enorme sucesso que fez na época caiu no esquecimento, ofuscada pelo estrondoso sucesso do saudoso grupo Os Trapalhões. Pegando carona no sucesso dos filmes do 007 e do seriado Agentes da U.N.C.L.E., com direito a uma piada tirando sarro com Zé do Caixão, temos aqui uma paródia que conta com um roteiro regular, rasinho, que serve apenas de desculpas para a piada correr soltar. O resultado final é uma comédia engraçadinha, bobinha ao extremo, um pouca arrastada demais da conta, mas cumpre direitinho sua missão de ser uma diversão boba e descompromissada. Legalzinho, vale mais pelo valor histórico e para conferir a esquecida no tempo dupla de irmãos impagáveis.

Rick Pinheiro.
Cinéfilo alagoano.

sábado, 22 de julho de 2017

CAIXINHA MALVADONA.

 = Excepcional. /  = Muito bom. /  = Bom./  = Regular. / = Fraco. / Coco do Cachorrão= Preciso mesmo dizer?.

7 Desejos (Wish Upon).
Produção estadunidense de 2017.

Direção: John R. Leonetti.

Elenco: Joey King, Ki Hong Lee, Sydney Park, Elizabeth Röhn, Ryan Phillipe, Shannon Purser, Sherilun Fenn, Kevin Hanchard, Michelle Alexander, entre outros.

Blogueiro assistiu na sala 6 do complexo Cinesystem Maceió em 21 de julho de 2017.

Cotação

Nota: 7,0.
Sinopse: Claire Shannon (King) é uma adolescente que é um zero à esquerda na sua escola, onde vive sofrendo bullying, mas, sem se fazer de coitadinha, e não levando desaforo para casa. Até que um belo dia seu pai (Phillipe) a presenteia com uma misteriosa caixinha de música chinesa, que ele encontrou no lixo. Ela acaba descobrindo que o objeto lhe concede tudo que deseja. O que ela não sabe é que a cada desejo que ela faz e se realiza, alguém ligado a ela parte desta para uma melhor.

Comentários: Após um tempo na merda com a modinha quase interminável do found footage, o gênero do terror vem tendo uma considerável volta, retornando ao jeitão antigo. Aqui temos um típico terror teen à moda antiga que não se leva a sério em nenhum momento à ponto de provocar inevitáveis gargalhadas do começo ao fim, com um roteiro rasinho, trazendo uma trama patética, simples, clara e objetiva. O resultado é um filminho bobo, porém, que cumpre direitinho sua função de divertir muito mais pelas situações risíveis do que pelos sustos. Claramente pretensioso, já que rola uma cena no comecinho dos créditos finais que claramente dar um puta gancho para uma continuação. Legalzinho e eficiente, diversão boba descompromissada garantida.

Rick Pinheiro.
Cinéfilo alagoano.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

MAIS UM FILME SOBRE LOURDES.

 = Excepcional. /  = Muito bom. /  = Bom./  = Regular. / = Fraco. / Coco do Cachorrão= Preciso mesmo dizer?.

Milagre de Lourdes / Meu Nome é Bernadette (Je m' appelle Bernadette - título original / Miracle in Lourdes - título internacional).
Produção francesa de 2011.

Direção: Jean Sagols.

Elenco: Katia Miran, Michel Aumont, Francis Huster, Francis Perrin, Alessandra Martines, Gilles Lemaire, Alain Doutey, Nicolas Jouhet, Eric Laugerias, Rufus, entre outros.

Blogueiro assistiu online (Netflix) em 20 de julho de 2017.

Cotação

Nota: 7,0.

Sinopse: Baseado em fatos. Em 1858, a pequena cidade de Lourdes, no sul da França, ver sua rotina pacata mudar quando a adolescente de quatorze anos, Bernadette Soubirous (Miran) passa a ter uma visão com uma senhora vinda do céu na Gruta de Massabielle, e vai ao encontro dela no local por dezoito dias. O evento chama atenção de todos, religiosos e não, gerando dúvidas se a adolescente estava mesmo tendo as visões ou se ela é charlatã.

Comentários: Entre todas as aparições de Nossa Senhora relatadas mundo a fora, provavelmente, a de Lourdes é que mais ganhou produções a respeito, superando até mesmo Fátima. Esta aqu, que na Netflix está disponível no título internacional, é mais uma. Trata-se de uma drama religioso sensível com roteiro satisfatório, que cumpre direitinho sua função de conta uma história tão propagada no mundo. Não chega a ser uma obra-prima como A Canção de Bernadette, mas, também não compromete. Típico filme religioso eficiente.

Rick Pinheiro.
Cinéfilo alagoano.